Edge Chromium ganha novidades na aba anônima e melhorias na busca


Edge Chromium ganha novidades na aba anônima e melhorias na busca

A Microsoft atualizou as versões em desenvolvimento do Microsoft Edge baseado em Chromium e lançou aprimoramentos para a aba anônima do navegador. O modo inPrivate agora possui um novo design com a barra de pesquisa centralizada e mais opções para aprimorar a experiência de navegação sem a coleta de dados.

Ao abrir a janela privada no Microsoft Edge feito com o motor do Chrome, o usuário é apresentado para uma aba que traz a barra de pesquisa do Bing centralizada, facilitando as buscas no modo anônimo. A novidade pode ser vista como um avanço em comparação ao principal concorrente, já que o browser da Google não possui um campo de digitação central durante a navegação privada. O Firefox até possui a função, mas apenas como um direcionador para a barra de endereço.

Além da barra de pesquisa do Bing, a página inicial do modo anônimo do Edge também conta com informações básicas sobre a navegação privada, que serve para esconder certos detalhes durante o uso, mas não impede que o usuário seja identificado se estiver utilizando o computador em redes fechadas, como no trabalho ou em escolas. Na nova versão do browser, a Microsoft traz explicações mais abrangentes e opções extras para a utilização do modo especial.

Segundo explica o MS Power User, o Edge removerá as informações pessoais de identificação (PPI) antes de enviar dados para os servidores na navegação privada. Com isso, a identidade do usuário não é revelada durante o uso da função. Na página inicial da aba anônima, a empresa também fornece o link para configurações que permitem gerenciar rastreadores e bloquear anúncios.

A versão baseada em Chromium do Microsoft Edge ainda está em testes, mas o navegador já pode ser baixado em versão beta. Para quem não quer enfrentar eventuais bugs, a edição final do browser chega no dia 15 de janeiro.

Via https://mspoweruser.com/chromium-based-edge-gets-updated-with-improvements/

comments powered by Disqus