news,

Flutter: como criar apps nativos para Android e iOS

Marcos Marcos Siga-me Dec 10, 2019 · 2 mins read
Flutter: como criar apps nativos para Android e iOS
Share this

No universo do desenvolvimento de aplicativos móveis, uma das maiores dificuldades sempre foi criar apps multiplataforma que rodassem nas duas principais plataformas mobile atuais: Android e iOS. Os obstáculos são variados, desde a performance até o custo de criar e manter os apps para cada sistema; porém, parece que uma solução realmente eficiente está começando a surgir.

Estamos falando do Flutter, um framework desenvolvido pela Google com base na linguagem Dart (também criada pela empresa e não é parente do Darth Vader! 😀️). O objetivo desse SDK é oferecer uma solução para a criação de apps multiplataforma, atendendo não somente a dispositivos móveis mas também à web e em breve ao ambiente desktop.

Neste artigo, explicaremos exatamente o que é o Flutter e daremos algumas dicas para aqueles que estão buscando uma forma de aprendê-lo.

O que é o Flutter?

O Flutter nada mais é do que um framework que funciona como um template para o desenvolvedor, oferecendo uma série de funções úteis e práticas que podem ser usadas nos códigos do programa. É como se fosse uma estrutura base do software, auxiliando um gerenciamento ágil dos projetos.

Flutter

Também podemos entender o Flutter como um SDK (kit de desenvolvimento de software), por oferecer as ferramentas que facilitam a criação dos aplicativos. Esse framework é escrito em Dart, uma linguagem de programação fortemente tipificada e orientada a objetos, bastante semelhante a linguagens como Swift, C#, Java e JavaScript.

Características do Flutter

De acordo com a própria Google, o Flutter foi criado para melhorar a qualidade dos aplicativos e aumentar a velocidade do seu desenvolvimento. Dessa forma, é possível alcançar mais usuários com uma mesma solução, sem precisar arcar com os custos da criação de duas versões de um mesmo app.

Além disso, o Flutter facilita a elaboração de aplicativos bonitos. Conferindo liberdade aos designers, que geralmente esbarram em limitações técnicas, esse framework possibilita a modificação de cada pixel da tela. É claro que a beleza de um app depende da criatividade do criador, mas o Flutter não impõe barreiras a esse desenvolvimento.

Flutter

Diferentemente de outras soluções, o Flutter gera códigos verdadeiramente nativos tanto para o Android quanto para o iOS, o que confere maior fluidez e velocidade na execução dos aplicativos. O Flutter não utiliza componentes nativos por meio de uma “ponte” (como o React Native) nem é executado em uma WebView (como no caso do Ionic).

Por fim, vale ressaltar que o Flutter é livre, com código fonte aberto. O projeto open source está sob a licença BSD-style, o que inclui a contribuição de milhares de desenvolvedores ao redor do globo. É possível encontrar o projeto do Flutter no GitHub e contribuir para o seu desenvolvimento.

Via: Tecmundo


Comentários