Google detecta 40.000 ataques de hackers financiados por governos


Google detecta 40.000 ataques de hackers financiados por governos

Google apresentou o mapa de ataques cibernéticos de origem política em 2019

Jornalistas, partidos políticos, ativistas de direitos humanos e empresários estão nas listas de vítimas desses grupos apoiados por diferentes governos. Apesar da redução no número de casos, os hackers podem estar se mostrando cada vez mais refinados e precisos em ataques

No relatório de 2019 do Google Threat Analysis Group, há boas e más notícias: as más notícias revelam que mais de 40.000 ataques cibernéticos foram tentados por governos ou grupos de cibercriminosos apoiados pelo estado; a boa notícia é que essas 40.000 tentativas de ataques refletem uma queda de 25% em comparação com os dados compilados em 2018.

O Google revela que os grupos associados à Coréia do Sul e ao Irã permanecem especialmente ativos, mas também faz referência a coletivos como o SANDWORM, que tem ataques em diferentes setores em seu currículo.

Jornalistas, partidos políticos, ativistas de direitos humanos e empresários estão nas listas de vítimas desses grupos apoiados por diferentes governos.

Os especialistas do Google admitem que a redução no número de ataques registrados pode ser devido a um aumento na eficácia dos sistemas de proteção de e-mails e computadores, mas também lembram que “os esforços dos atacantes diminuíram e se tornaram mais deliberados nas intenções , o que significa que as tentativas de ataque estão se tornando menos frequentes à medida que os invasores se adaptam. “

Estados Unidos, Índia, Paquistão, Arábia Saudita, Coréia do Sul e Japão estão entre os países mais perseguidos, totalizando cada um mais de 1000 ataques de origem política. Analisando o mapa fornecido pela página do Google, menos de 10 ataques de origem política foram relatados em Portugal durante o ano passado.

O Google informa que está disponibilizando a muitas vítimas em potencial um Programa de Proteção Avançada para impedir ataques a jornalistas e ativistas. É através deste programa que foi possível verificar que um quinto dos alvos dos cibercriminosos foram submetidos a várias tentativas de ataque durante 2019.

O Google diz que persistência é a palavra de ordem entre os cibercriminosos. Os ataques podem ser limitados ao envio de e-mails fraudulentos que fazem com que as vítimas cliquem em um link que espalha automaticamente o software de phishing - mas também há casos em que hackers tentam ganhar confiança com as vítimas ou alguém em seu círculo de relacionamentos para induzi-las a baixar inadvertidamente código malicioso que lhes permite acessar computadores, contas de email ou dados móveis.

Via Exame Informática

comments powered by Disqus