Linus Torvalds deseja que a extensão da Intel 'morra dolorosamente'


Linus Torvalds deseja que a extensão da Intel 'morra dolorosamente'

‘A empresa deveria se concentrar em melhorar o processamento do código de uso geral’, criticou Linus Torvalds

“Espero que o AVX-512 tenha uma morte dolorosa e que a Intel comece a consertar problemas reais em vez de tentar criar instruções mágicas para criar benchmarks nos quais eles possam ficar bem. Espero que a Intel volte ao básico: faça com que seu processo funcione novamente e se concentre mais sobre código regular que não é HPC ou algum outro caso especial inútil”, essa foi a afirmação do criador do Linux, Linus Torvalds, ao ofertar algumas ideias sobre o conjunto de instruções da Intel Advanced Vector Extensions 512 (AVX-512).

Torvalds não hesitou em expressar críticas à política da empresa e seus comentários foram publicados em uma lista de discussão. Após o debate, ele sugeriu que o AVX-512 pode não fazer parte da próxima arquitetura Alder Lake, da Intel.

Intel AVX-512 é um conjunto de novas instruções que podem acelerar o desempenho de cargas de trabalho e usos.

AVX-512

A extensão foi projetada para melhorar o desempenho em várias categorias de cargas de trabalho, como simulações científicas, análises financeiras, inteligência artificial, compactação de dados e outras tarefas, que podem se beneficiar de operações de ponto flutuante mais robustas. Inicialmente, a extensão, lançada pela Intel em 2013, era parte de suas linhas de processadores Xeon Phi x200 e Skylake-X.

Todavia, Torvalds vê o AVX-512 como um exemplo de “lixo de caso especial” no que diz respeito ao desempenho de ponto flutuante. “Detesto absolutamente os benchmarks de FP e percebo que outras pessoas se importam profundamente. Só acho que o AVX-512 é exatamente a coisa errada a se fazer. É uma irritação minha. É um excelente exemplo de algo que a Intel fez de errado, em parte apenas por aumentando a fragmentação do mercado”, frizou.

Em sua opinião, os especialistas da Intel deveriam se concentrar em melhorar o processamento do código de uso geral e ainda destaca que processadores da marca não tiveram um desempenho muito bom nas operações de ponto flutuante, e esse problema deveria ter sido resolvido há muito tempo.

Não é a primeira vez é que o fundador dirige a sua ira à Intel. Em 2018, Torvalds se referiu aos patches Meltdown e Spectre da Intel como “lixo total e completo”, com todas as letras para enfatizar seu nível de raiva.

Via: PC Gamer

comments powered by Disqus