Microsoft admite que estava errada a respeito do Open Source


Microsoft admite que estava errada a respeito do Open Source

No mundo da tecnologia há sempre concorrência, mas algumas destacam-se mais do que outras. Um desse casos, em que já se perdeu no tempo há quanto dura, é o da Microsoft e dos sistema open source, como Linux. Mas para além das marcas, são sobretudo os adeptos de uma e de outras que se lançam em conflitos, alguns bastante acesos.

Mas recentemente Brad Smith, presidente da Microsoft, veio afirmar que a empresa estava errada em relação aos sistemas open source.

Windows vs Linux… uma guerra antiga

Como sabemos, em cada setor é normal haver pelo menos duas grandes forças que se destacam e que são concorrentes, como por exemplo o Android e o iOS e também o Windows e o Linux.

No caso destes últimos dois a guerra já dura há mais tempo, e cada um deles tem uma legião fiel de fãs que tratam de defender o seu sistema com bastante afinco.

Muita desta animosidade cresceu depois que, em 2001, o ex CEO da Microsoft, Steve Ballmer, apelidou o Linux de “câncer”. Passados 5 anos referiu que o sistema aberto já não era câncer, mas sim apenas um rival do Windows.

Steve Ballmer

Recentemente os ânimos reacenderam depois que a China afirmou que o Linux poderá substituir o Windows dentro de 3 a 10 anos, e também quando Munique deu os primeiros passos para trocar o sistema da Microsoft pelo Linux.

Microsoft admite que estava errada em relação ao open source

O atual presidente da Microsoft, Brad Smith afirmou que a empresa de Redmond estava errada em relação ao open source. De acordo com Smith:

A Microsoft estava do lado errado da história quando o open source explodiu no início do século, e posso dizer isso pessoalmente sobre mim.

Smith acrescentou ainda que:

A boa notícia é que a vida é longa o suficiente para podermos aprender… que precisamos mudar.

E essas mudanças já são possíveis notar, pois atualmente, a Microsoft é a empresa que mais contribui em todo o Mundo para projetos open source. Muito mais do que outras entidades como o Facebook, Google, Apache, Docker, entre outros.

Além de ter a sua própria distribuição Linux, a Microsoft também preparou um kernel Linux para incluir no Windows 10. Mas há outros sinais de que esta tumultuosa relação está um pouco mais saudável, como o novo Edge baseado no Chromium.

Via: PPLWARE

comments powered by Disqus