Hackers criaram uma rede de jornalistas falsos gerados por IA


Hackers criaram uma rede de jornalistas falsos gerados por IA

De acordo com uma investigação do jornal The Daily Beast, uma rede de jornalistas, analistas e consultores políticos falsos foi – ou ainda está sendo – usada para a criação de publicações opinativas, que favorecem alguns países localizados na região em torno do Golfo Pérsico. Até agora, ao menos 19 personagens fake foram identificadas, todas com rostos gerados por meio de inteligência artificial ou, ainda, modificações de fotos roubadas de pessoas reais, que eram usadas para disseminar artigos com ideais, em sua maioria, conservadores.

Perfis foram banidos do Twitter

Segundo o The Daily Beast, as personas identificadas costumavam contribuir para os mesmos veículos de mídia: The Arab Eye e Persia Now. Além disso, havia outros comportamentos em comum: as contas tinham sido criadas entre março e abril deste ano, apresentavam-se como jornalistas e consultores políticos freelancers, (sendo que a maioria afirmava morar em capitais europeias), as contas no LinkedIn mentiam sobre o currículo acadêmico e profissional, mantinham ligações entre si (para sustentar a legitimidade de seus trabalhos), e, como já foi citado, tinham avatares falsos, usando rostos gerados por inteligência artificial ou fotos de pessoas reais, que foram roubadas na internet e modificadas para dificultar seu rastreio.

As publicações do grupo fake tinham um certo foco: eles pediam mais sansões contra o Irã, criticavam o Catar e elogiavam os Emirados Árabes Unidos. Artigos também foram publicados em agências americanas como o Washington Examiner e o American Thinker, além de jornais asiáticos, como The Jerusalem Post, Al Arabiya e o South China Morning Post, de Hong Kong.

O The Daily Beast não conseguiu identificar o grupo responsável pela rede de jornalistas fake, mas sua investigação fez com que o Twitter suspendesse 15 contas que pertenciam às personagens falsas.

Tecnologia é boa, mas não é perfeita

A tecnologia de IA usada para a criação de rostos falsos é impressionante, como pode ser verificada no site ThisPersonDoesNotExist.com, que cria faces online únicas e jamais as repete. Obviamente, essa característica faz com que os rostos não possam ser rastreados em fotos secundárias, o que facilita a identificação de fraude.

Fontes: The Daily Beast Pixabay: thumb - Via: TecMundo

comments powered by Disqus